Anúncios Airlitgh

RCWTV - Sua fonte de notícias de Juiz de Fora e região.

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024
rcwtv
rcwtv

Ciência e Tecnologia

Estudo Revela Desafios na Conservação da Mata Atlântica

Pesquisa da Unesp mostra avanços e preocupações com fragmentação florestal nos últimos 34 anos.

João Vítor Fonseca
Por João Vítor Fonseca
/ 46 acessos
Estudo Revela Desafios na Conservação da Mata Atlântica
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Um novo estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e publicado na Biological Conservation, traçou um panorama detalhado das mudanças na vegetação da Mata Atlântica ao longo das últimas três décadas. A pesquisa destacou tanto os ganhos obtidos após a implementação da Lei da Mata Atlântica em 2006 quanto os desafios persistentes causados pela fragmentação florestal.

Ganhos e Desafios na Conservação

Os pesquisadores mapearam as transformações na Mata Atlântica, um bioma que abrange mais de 1,6 milhão de km² e abriga uma vasta biodiversidade. O estudo revelou que, desde 2005, houve um aumento de aproximadamente 1 milhão de hectares de vegetação nativa. Esse crescimento foi impulsionado pela legislação ambiental, que restringiu o desmatamento e incentivou a regeneração florestal.

Leia Também:

“Entre 2005 e 2020, a Mata Atlântica ganhou cerca de 1 milhão de hectares,” afirma Maurício Vancine, doutorando em Ecologia, Evolução e Biodiversidade na Unesp. “Esse crescimento incluiu tanto o aumento de fragmentos já existentes quanto a formação de novos fragmentos de tamanho médio de 1 hectare.”

Fragmentação e Seus Impactos

Apesar dos ganhos, a fragmentação continua sendo um grande desafio. O estudo indica que 97% dos fragmentos de Mata Atlântica possuem menos de 50 hectares. “Embora estejamos ganhando floresta, esse aumento ocorre principalmente em pequenos fragmentos,” explica Vancine, pesquisador do Laboratório de Ecologia Espacial e Conservação (LEEC) da Unesp.

Importância da Mata Atlântica

Mais de 150 milhões de pessoas vivem dentro dos limites da Mata Atlântica, que se estende do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte. O bioma é um dos mais ricos em biodiversidade do planeta, abrigando milhares de espécies de plantas e animais. A Lei da Mata Atlântica, promulgada em 2006, foi uma resposta à ameaça crescente de desmatamento e desempenhou um papel crucial na proteção e regeneração da floresta.

Colaborações e Publicação

O estudo intitulado The Atlantic Forest of South America: spatiotemporal dynamics of vegetation and implications for conservation envolveu colaboradores de diversos países, incluindo Brasil, Nova Zelândia, Noruega, Inglaterra e Argentina. Foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e coordenado pelo ecólogo Milton Cezar Ribeiro, do Instituto de Biociências da Unesp.

Para mais detalhes, a reportagem completa pode ser acessada em: jornal.unesp.br

Mantenha seus amigos informados... Compartilhe esta matéria!

Acesse o nosso site e receba notícias da RCWTV no Whatsapp. Participe do nosso grupo e fique por dentro das principais notícias que movimentam o nosso site!

Curta e siga nossas redes sociais.

 

FONTE/CRÉDITOS: Agência FAPESP
Comentários:
João Vítor Fonseca

Publicado por:

João Vítor Fonseca

Saiba Mais
https://rezato.com.br/
https://rezato.com.br/

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )