RCWTV - Sua fonte de notícias de Juiz de Fora e região - noticias , juiz de fora , rcwtv

Notícias Brasil/Mundo

EUA nomeiam emissária para defender os direitos das mulheres afegãs

Defender os direitos das mulheres afegãs

EUA nomeiam emissária para defender os direitos das mulheres afegãs
AFP/Randy Shropshire
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira (29) a nomeação de uma emissária especial para defender os direitos das mulheres afegãs, uma prioridade para Washington depois que o Talibã tomou o poder no Afeganistão.

Rina Amiri, uma acadêmica americana nascida no Afeganistão e especialista em mediação, servirá como emissária especial do presidente Joe Biden para os direitos das mulheres e meninas e os direitos humanos no Afeganistão, anunciou o secretário de Estado, Antony Blinken.

Anteriormente, Amiri trabalhou para a administração do democrata Barack Obama.

"Como emissária especial, trabalhará em uma série de questões que são extremamente importantes para mim, para a administração americana e para a segurança nacional dos Estados Unidos: os direitos humanos e as liberdades fundamentais de mulheres, meninas e outras populações em risco em toda a sua diversidade", acrescentou em um comunicado.

Quase seis meses após a retirada militar americana do Afeganistão, Blinken lembrou que os Estados Unidos queriam "um Afeganistão pacífico, estável e seguro, onde todos os afegãos possam viver e prosperar".

O Talibã busca reconhecimento internacional e, portanto, se comprometeu a governar com menos brutalidade do que quando estava no poder anteriormente, entre 1996 e 2001. Mas as mulheres continuam virtualmente excluídas da administração pública e do acesso ao ensino secundário.

Motoristas foram aconselhados pelas autoridades a não transportar mulheres em longas distâncias se elas estiverem desacompanhadas.

O respeito pelos direitos das mulheres é uma das condições exigidas pelos governos estrangeiros para retomar a ajuda internacional ao Afeganistão, um dos países mais pobres do mundo.

O Afeganistão está à beira de um colapso econômico e a ONU alertou sobre uma "onda de fome" iminente, com 22 dos 40 milhões de afegãos correndo o risco de sofrer uma escassez "aguda" de alimentos neste inverno.

FONTE/CRÉDITOS: Correio Braziliense

Todas as publicações e comentários são de total responsabilidade dos autores. As opiniões emitidas não representam o posicionamento da RCWTV. Nosso portal reserva-se o direito de moderar todo o conteúdo expresso, incluindo exclusão de mensagens desrespeitosas, xingamentos, insultos a seus colaboradores e agressões. Caso encontre algum conteúdo que viole nossos termos, denuncie ou entre em contato conosco!

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!