Anúncios Airlitgh

RCWTV - Sua fonte de notícias de Juiz de Fora e região.

Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024
rcwtv
rcwtv

Economia

Os desafios do comércio exterior para as pequenas empresas

Para atuar no mercado internacional a pequena empresa encontra novos e diferentes obstáculos e depende de fôlego e organização para entendê-los e superá-los.

Simone Carvalhal
Por Simone Carvalhal
Os desafios do comércio exterior para as pequenas empresas
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O processo de comércio exterior apresenta desafios para empresas de qualquer porte. Entretanto, para as micro e pequenas empresas os obstáculos parecem maiores, principalmente devido a características típicas desses empreendimentos.

Capacidade de gestão da firma

Muitas vezes as micro e pequenas empresas (MPE) só têm um proprietário, que centraliza todas as decisões da empresa e nem sempre consegue manter os melhores padrões de gestão. A decisão de atuar em mercados externos é uma escolha estratégica que absorve a atenção do seu proprietário e exige que todas as áreas funcionais da empresa estejam trabalhando dentro do seu melhor potencial, para que a empresa seja competitiva, tanto no mercado doméstico como nos mercados externos.

Necessidade de atualização tecnológica

As MPEs tendem a ser menos atualizadas tecnologicamente do que seus concorrentes de médio e grande porte. Precisam investir em tecnologia, seja para competir no mercado externo com produtos atualizados tecnologicamente e no mínimo compatíveis com a oferta de outros concorrentes internacionais, seja para modernizar seus processos de produção visando aumentar a produtividade e competitividade.

Publicidade

Leia Também:

Adequação do produto ao mercado externo

Dificilmente o mercado externo absorve exatamente o mesmo produto vendido no mercado doméstico. Alterações podem ser necessárias em design, no tipo de matéria-prima e acabamento utilizados, composição, dimensões dos produtos, cores, quantidade de produto por embalagem, e tantas outras possíveis solicitações. Essas alterações, muitas vezes, implicam na produção de amostras e envio ao importador antes mesmo que um negócio tenha sido concretizado. As MPE precisam estar preparadas para isso.

Adequação a normas e certificações

Muitas alterações nos produtos e em suas embalagens são necessárias, não apenas para atender aos gostos e preferências de clientes do mercado externo, mas por ordem de normas e especificações técnicas do país de destino, que podem estar ligadas à higiene e saúde, segurança, prevenção de acidentes etc. Para as MPE, isso significa mais desafios: o de conhecer as normas técnicas dos países de interesse, realizar as modificações e obter as certificações de adequação dos produtos.

 

Financiamento da venda e da produção

No comércio internacional, as modalidades de pagamento e a logística são mais complexas, aumentando o prazo do ciclo de produção, venda e recebimento do pagamento. Isso demanda maior capital de giro da empresa exportadora para manter esse ciclo, e nem sempre as MPE tem o capital necessário disponível. Em alguns casos, o próprio processo de produção é longo, aumentando esse ciclo. 

Necessidade de escala de produção

Para alguns produtos e clientes, é necessário que o exportador tenha escala de produção para atender as suas necessidades. Portanto, as MPEs devem ter cuidado redobrado para não oferecer seus produtos a clientes que não conseguirão atender.

Controle de qualidade

Mais desafiador do que conseguir fabricar um produto de qualidade é manter o mesmo padrão de qualidade em todos os produtos no decorrer do tempo. Importadores costumam queixar-se de receber uma amostra de excelente qualidade, aprovam a amostra, mas quando recebem as mercadorias solicitadas, verificam que a qualidade não foi mantida. Outro problema comum, o padrão de qualidade se altera a medida que os pedidos se repetem. MPE precisam implantar programas de qualidade, usar tecnologia adequada e ter processos devidamente normatizados.

Embalagem e transporte

A logística geralmente é mais complexa e o tempo de viagem mais longo no comércio internacional do que no mercado doméstico. Em muitos casos, é necessário usar embalagens de transporte mais reforçadas, marcadas de acordo com as necessidades dos clientes e normas do país de destino da mercadoria. Além disso, o mais comum é que a carga seja acomodada em containers em quantidades que devem ser estimadas previamente para o correto cálculo de custos e preço de exportação dos produtos, assim como produzidas na quantidade correta. As MPE devem ter pessoal disponível e capacitado para essa atividade.

Burocracia e legislação

Conhecer a legislação e a burocracia do mercado-alvo é algo inerente às operações de comércio internacional. A empresa interessada em acessar a mercados externos deve ter pessoal próprio capacitado ou contratar assessoria para lhe auxiliar na elaboração e na execução de seu projeto de comércio exterior.

Distribuição, assistência e pós-venda no país comprador

Ao pensar em exportação, qualquer empreendedor deve pensar na operação completa –compra da matéria-prima, produção, saída do produto de sua fábrica, chegada no consumidor ou usuário final no país de destino – e ao mesmo tempo manter ou adequar os serviços que oferece aos seus clientes no Brasil, mesmo que parte desse trabalho seja terceirizado. Para muitos produtos, não basta encontrar um importador-distribuidor, é necessário definir quem e como será prestada a assistência técnica, a reposição de peças, os serviços pós-venda etc. Empresários de MPE e até de médias e grandes empresas tendem a pensar FOB, ou seja, preocupar-se somente com a operação e seus custos até o embarque da mercadoria no navio, caminhão ou aeronave.

Nível de entendimento requerido do mercado

É muito comum as MPEs entregarem seus negócios internacionais a agentes, trading companies ou comerciais exportadoras, muitas vezes, sem saber se esses intermediários estão a serviço dos importadores ou apenas de seus interesses próprios. Embora esses intermediários possam ser excelentes alternativas para MPEs iniciarem seu processo de comércio exterior, é necessário que o trabalho seja conjunto e que o empresário se envolva e tenha interesse em conhecer seus clientes e em entender o mercado de destino de seus produtos e serviços.

Promoção comercial

Devido a seu custo relativamente alto, a promoção comercial no exterior acaba sendo relegada a segundo plano pelas MPEs ou até esquecida. Em troca de pedidos mais fáceis, muitas MPEs abrem mão de sua própria marca para vender com a marca dos clientes. Essa escolha as tornam mais fáceis de serem substituídas.

Além de todos esses desafios, o comércio exterior implica em investimento, cujo retorno é de longo prazo.

Fonte: Sebrae

 

Gostou da matéria? Compartilhe com os amigos!

Acesse o nosso site

https://www.rcwtv.com.br/

Receba notícias da RCWTV no Whatsapp e fique por dentro das principais notícias que movimentam o nosso site! Participe do nosso grupo:
https://chat.whatsapp.com/EeSJvQx8kVA3J3kMmSevMw

Curta e siga nossas redes sociais!

Comentários:
Simone Carvalhal

Publicado por:

Simone Carvalhal

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book.

Saiba Mais
https://rezato.com.br/
https://rezato.com.br/

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )