Anúncios Airlitgh

RCWTV - Sua fonte de notícias de Juiz de Fora e região.

Sabado, 15 de Junho de 2024
https://rezato.com.br/
https://rezato.com.br/

Juiz de Fora

Migração internacional é tema de curso de formação para profissionais que atuam junto à população

O objetivo é realizar um percurso entre os serviços socioassistenciais e de atendimento à população

Marcus Macedo
Por Marcus Macedo
/ 61 acessos
Migração internacional é tema de curso de formação para profissionais que atuam junto à população
Prefeitura de Juiz de Fora
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

A Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) deu início ao programa de capacitação "Na Rota dos Direitos" nesta quarta-feira, 7, com o intuito de promover um entendimento aprofundado sobre migração entre os profissionais dos serviços socioassistenciais e de atendimento ao público. A iniciativa começou na Casa da Mulher “Maria da Conceição Lammoglia Jabour”, associada à SEDH, e nos meses de março a abril, será a vez dos setores da Secretaria de Assistência Social (SAS) participarem. O programa culminará em maio com a equipe dos Cursos Populares para Concursos (CPC/SEDH).

Victoria Sabatine, responsável pelo departamento da SEDH dedicado a migrantes, refugiados, apátridas e retornados, explica que o projeto visa aclarar aspectos e definições relacionados à migração internacional, examinar as causas que levam a esses movimentos populacionais e enfatizar as leis importantes que orientam esses processos. Além disso, tem como objetivo compartilhar informações sobre a situação migratória na cidade, reconhecendo os migrantes como detentores de direitos.

Sabatine destaca a importância dos municípios no debate e na criação de políticas públicas para a migração, visto que é no âmbito municipal que os migrantes estabelecem residência e se integram à comunidade. Juiz de Fora, em particular, tem visto um aumento significativo na chegada de migrantes internacionais, especialmente da Venezuela.

Leia Também:

Dados da Polícia Federal de setembro de 2023 indicam a presença de 3.164 migrantes internacionais em Juiz de Fora, incluindo 2007 com status temporário, 847 residentes e 310 em situação provisória. No que diz respeito ao refúgio e apatridia, a cidade abriga 134 pessoas nessa condição e 306 solicitantes de refúgio. Os venezuelanos representam a maior comunidade de migrantes na cidade, com 1931 indivíduos.

 

Na Rota dos Direitos – Confira os próximos encontros:


Março

Formação nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras)

1/3 – 8h30: Cras Norte Santa Cruz - Rua D, 50

7/3 – 8h30: Cras Barbosa Lage - Av. Marginal, 50

8/3 – 8h30:Cras Oeste São Pedro - Rua Sady Monteiro Boechat, 185

12/3 – 8h30: Cras Norte Benfica – Av. Juscelino Kubitschek, n° 5.899 – Praça CEU

14/3 – 15h: Cras Leste Vitorino Braga - Praça Senador Teotônio Vilela

15/3 – 8h30: Cras Sudeste Olavo Costa - Rua Marcelino,25

15/3 – 15h: Cras Centro - Rua Halfeld, 450/4º andar

21/03 – 15h: Cras Sul Ipiranga - Rua Bady Geara, 552

22/3 – 8h30: Cras Leste Linhares - Rua Diva Garcia, s/nº

22/03 – 15h: Cras Nordeste Grama - Praça Aureo Gomes Carneiro, s/nº

27/3 – 8h30: Cras Sudeste Costa Carvalho - Rua Costa Carvalho,7


Abril

Formação para servidores da proteção especial de média complexidade

4/4 – 14h: Núcleo de convivência para adultos em situação de rua - Rua Professor Corina Erse, 160, Poço Rico

5/4 – 8h30: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas 1) / Rua Espírito Santo, 456, Centro

12/4 – 8h30: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas 2) / Rua Espírito Santo, 444 – Centro

19/4 – 8h30: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas Norte) / Rua Dona Ambrosina Nunes, 44 – Jóquei Clube

25/4 – 14h: Centro de Referência Especializado para a população em situação de rua (Centro Pop) / Av. Sete de Setembro, 1431 - Costa Carvalho


Maio

4/5 – 9h: CPC - Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 230 - 3º andar


A atividade é a efetivação de um dos eixos previstos no Plano Municipal de Políticas para a População Migrante, Refugiada, Apátrida e Retornada do Município de Juiz de Fora (Decreto 15.952, de 20 de junho de 2023), que aponta a necessidade de promover a capacitação permanente de servidores públicos municipais sobre temas relacionados à migração, refúgio, apatridia e migração de retorno, principalmente sobre direitos, atendimentos culturalmente sensíveis e especificidades dessas populações, visando o respeito à diversidade, à multiculturalidade e aos saberes tradicionais, bem como à promoção de um atendimento humanizado e livre de discriminações por questões de nacionalidade, raça, gênero, orientação sexual, diversidade religiosa, deficiência e recortes etários.

FONTE/CRÉDITOS: Prefeitura de Juiz de Fora
Comentários:
Marcus Macedo

Publicado por:

Marcus Macedo

Saiba Mais
rcwtv
rcwtv

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )